Seu email está mandando spam sem você saber? Tem como descobrir

7
mar

A pessoa que te atormenta com spam pode não ter culpa – é só vítima Imagem: Reprodução

 

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

26/02/2019 04h00

Hackers, na maioria das vezes, agem de forma silenciosa. Isso vale inclusive para spams e mensagens falsas que recebemos por email, em ação robotizada que muitas vezes a vítima sequer sabe que está sendo usada. Mas sabia que existe uma maneira de descobrir se sua conta está sendo usada sem você notar?

Você provavelmente já recebeu algum email aleatório de um amigo, conhecido ou pessoa da família falando para você clicar em um link ou até ver “as fotos da festa que ficaram ótimas”. Isso soa familiar para você?

Antes de julgar quem te enviou, saiba que é possível que sua conta também esteja sendo usada para propagar spam malicioso para seus contatos. E há um jeito simples de saber se isso está ocorrendo. 

Você pode tirar a prova com um truque dentro do seu serviço de emails. Seja qual for o site que você use, adicione um email inventado para a sua lista de contatos.

Na maioria das vezes, esses robôs que espalham spam costumam encaminhar uma mensagem para toda sua lista de contatos salvos. Dessa maneira, se tiver um email errado no meio, você receberá uma resposta de email não enviado.

É provável que na maioria dos casos você nem precise fazer isso: depois de anos usando um email, a chance de você ter endereços que já não funcionam mais entre seus contatos é bem grande. Então, fique de olho se essas respostas automáticas aparecem na sua caixa de entrada.

Se chegar uma resposta automática no seu inbox para um email que não foi você que enviou, você foi atingido pela máquina de spam.

A sugestão básica é passar um antivírus no computador, mudar sua senha e habilitar a autentificação em dois fatores (cheque se existe essa possibilidade nas configurações do seu email).

Pode ser até que você seja vítima de um golpe que foi dado em um conhecido. Um amigo com um computador infectado pode ter “vazado” seu email para criminosos sem querer.

A prática chamada “spoofing” (algo como “enganação” na tradução literal do inglês) usa os endereços de email das pessoas para ocultar a verdadeira identidade dos spammers. Nesse ataque, os campos de identificação do email (como “remetente” e “responder para”) são modificados para aparentarem serem de outra pessoa que não o remetente real. Ou seja: o criminoso pode modificar esses campos, forjando que as mensagens foram enviadas por uma pessoa comum (como você) mesmo sem ter acesso à sua conta.

Seu contato vale R$ 0,24: como funcionam as “máquinas de spam” no WhatsApp que teriam sido usadas na eleição

ENTENDA

Para deixar o exemplo mais concreto, imagine três pessoas: João, José e Maria. João conhece José e Maria, mas esses dois últimos nunca se encontraram. A máquina do João é infectada e criminosos coletam os contatos de email dele. O vírus no computador do João então manda emails falsos para Maria, fingindo ser José.

Mas os criminosos também costumam ter acesso a seu endereço de email por listas vazadas na internet ou bases de dados compradas, então é bem difícil se prevenir. A melhor forma é evitar que seu email caia nessas listas de “spoofing”. Ou seja, mantendo seu endereço de email longe de sites ou redes sociais.

Se você é o José da história e tem emails que você não enviou voltando para sua caixa, não há muito o que fazer. Os criminosos costumam modificar constantemente os endereços usados na prática, então sua conta deve parar de ser usada em pouco tempo.

Segundo a Avast, para evitar problemas com alguma pessoa afetada pelo “spoofing”, siga estas dicas:

  • Não responda a nenhum email que solicite informações de contas ou login
  • Confira o remetente de qualquer email suspeito
  • Esteja atento a qualquer mudança na aparência ou no comportamento de sites confiáveis